Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TARA IRRESISTÍVEL PELO VIZINHO

Essa histária é sobre uma mulher que se entregou para a realização de um desejo intenso. Uma mulher que precisou de muita coragem para admitir uma tara pouco convencional. Renata é uma mulher jovem de 23 anos que sempre foi muito alegre e de bem com a vida, porém, um pouco introvertida. Acreditava que esse não era seu estado natural e sempre procurou conhecer pessoas e passar bons momentos com elas. Tem 1,58, branca, corpo proporcional, coxas grossas, seios médios, cabelos ondulados e castanhos, olhos verdes vivos.Seu marido, Samuel, 25 anos, ama muito sua esposa e sempre fez tudo o que pode por ela. Seu amor por Renata é incondicional e ele nunca se importou que sua mulher possuísse muitos amigos, mesmo sendo a maioria deles homens. Tem 1,82, moreno, corpo proporcional cabelos e olhos castanhos escuros. Renata sempre teve uma fera dentro de si pedindo para sair. Permitiu-se fazer isso apenas em poucas circunstâncias de sua vida e sentia saudade do tempo em que podia ser ela mesma sem neuroses. Apesar de seu marido ser liberal, um homem de cabeça aberta para qualquer possibilidade, ela nunca ousou expressar suas vontades por inteiro.



Em 2008, Renata e Samuel passaram a ter um novo vizinho, Fabiano, 28 anos, culto, viajado e de bem com a vida. Moreno, 1,85, .........Ele havia acabado de chegar do Rio de Janeiro tranferido da empresa em que trabalhava. Não conhecia absolutamente nada do lugar, mas possuia um espírito desbravador e se empolgava com desafios e situações novas. Assim que chegou, tocou a campainha de Renata e Samuel para se apresentar e tentar fazer novos amigos. Era um sábado de manhã, Samuel tinha ido até a casa dos país ajuda-los a instalar o aparelho de ar condicionado novo e Renata estava sozinha em casa. No momento em que Fabiano bateu à porta, ela estava saindo do banho e pensou que seu marido havia esquecido alguma coisa. Com a toalha mal cobrindo o corpo correu gritando: "Ahh meu amor, o que você esqueceu dessa vez, estabanadinho" Ao abrir, arregalou os olhos, pois não estava esperando ver um desconhecido àquela hora do sábado batendo sua porta. Corada e gaguejando muito disse: "Ahh me desculpa atende-lo assim, é que pensei que fosse meu marido. O que deseja?" Ela se sentiu completamente inadequada naquela situação e desejou que o chão se abrisse e a engulisse tamanha a vergonha que sentia. Fabiano percebeu seu embaraço, no entanto, achou aquela situação muito interessante e com um sorriso maroto nos lábios respondeu: "Desculpe incomoda-la tao cedo. Esqueci que hoje é sábado, dia de descansar até mais tarde. Mas é que sou novo na cidade, acabei de chegar e não conheço nada nem ninguém. Estou morando na casa ao lado e vim conhecer meus vizinhos. Muito prazer, me chamo Fabiano." Renata não soube explicar bem ao certo o que aconteceu naquele momento. Sentiu-se exposta, envergonhada, mas ao mesmo tempo gostou do sorriso que aquele homem alto, bonito e interessante dirigiu a ela. Gostou do fato dele te-la pego totalmente desprotegida. Sentiu-se deliciosamente violada por aquele olhar provocante. Seu coração acelerou mais ainda quando ao cumprimenta-lo segurou aquela mão enorme que cobria totalmente as suas, frágeis e pequenas. Ela respondeu desfarçadamente: "É um prazer enorme conhecer pessoas novas!" Os dois continuaram conversando por 19 minutos na porta de casa. Ela ainda com sua micro toalha e ele numa posição que para quaquer um que passasse pela rua pareceria ser a de um predador pronto para abater sua presa. Renata encerrou o papo dizendo que precisava se arrumar para almoçar na casa dos sogros e se despediu de Fabiano. Pediu para ele retornar numa hora em que seu marido estivesse em casa pois ele adoraria conhecer alguém da mesma faixa etária num bairro predominantemente habitado por idosos.



Renata passou o restante do dia completamente pertubada. Não entendia direito o que se passava em sua cabeça naquele momento. Era perdidamente louca por seu marido e desejava ficar com ele para sempre, mas aquele homem abalara completamente suas estruturas. Aquela experiencia acendeu um fogo que a muito tempo parecia estar apagado. Ao retornarem para casa, a noite, atacou ferozmente Samuel. Parecia uma cadela no cio. Mal fecharam a porta de casa, pegou na mão de seu marido e o levou correndo para tomarem um banho relaxante juntos. No banho ela o provocou muito, dando beijos, mordidas e apertando com vontade sua piroca, que instantaneamente ficou ereta. Utilizava a espuma para deslizar livremente sua pele sobre a do marido. Punhetava-o devagar apertando seu membro com muita vontade. Deslizava suas belas e redondas nádegas sobre o caralho dele, que gemia de prazer ao ver a cena de sua mulher de costas, rebolando e com as mãos apoiadas na parede do box. Gemendo, Renata estimulava seu parceiro dizendo: "Esfrega essa piroca gostosa na minha bunda, amor... Esfrega que eu vou rebolar até você ficar maluco." Samuel estava obedientemente se esfregando e beijava ardentemente a nuca de sua esposa. O corpo de Renata estava inteiramente arrepiado, da cabeça aos pés e seu fogo era incontrolável. Ao retirarem toda espuma, ela se ajoelhou e começou um boquete delicioso. Agarrou o pênis do marido e batia com ele em seu rosto dizendo: " Me castiga amor, eu mereço, sou muito malvada com você" Samuel estava prestes a gozar e ao ver pelo rosto do seu marido que isso oconteceria, Renata interrompeu a chupada. Ordenou que seu marido se secasse rapidamente e a encontrasse no quarto.



Quando chegaram lá, ela deitou-se na cama, olhou com uma cara de puta depravada pro marido e disse com uma voz bem dengosa: "Chupa minha buceta, seu cafajeste... chupa pra eu gozar gostoso na sua boquinha." Samuel obedeceu imediatamente. Ele adorava ver a mulher na posiçao de rainha, sentada imponente na cama com as pernas arreganhadas enquanto o seu escravo humilhava-se ajoelhado ao chão chupando-a loucamente. Adorou ve-la e ouvi-la. Ela ordenava a Samuel: " Mais forte!!.. enfia essa lingua safada bem fundo, quero sentir o quentinho dela..." Renata urrava e nem estava aí para transeuntes ou vizinhos que pudessem escuta-la. Para ela, nada nem ninguem iria deter aquela energia que brotava sem parar de seu corpo. Seu marido continuou até ela soltar um grande urro demonstrando que havia chegado ao climax. A expressão de seu rosto era a de uma vadia vagabunda que se entrega descontroladamente ao prazer. Samuel gostava muito disso, deu um sorriso de satisfação e disse: "Agora eu vou meter muito nessa sua xaninha e te fazer gozar de novo, meu amor..." Os dois treparam feito dois loucos e no momento em que Samuel atingiu o orgasmo, sua mulher também o atingiu, pela segunda vez. Novamente seu corpo se contorceu de forma tão intensa que ela parecia estar possuída. Seu marido safado, disse: "Que delícia meu amor.. ouvir seu gemido... ver vc tendo tanto prazer, isso sá completa o meu.." Ela deu um leve sorriso, se limpou e deitou na cama. Renata ainda estava com muita vontade, mas teve medo que seu marido desconfiasse de alguma coisa, por isso, tratou de dormir.



O dia seguinte era um domingo, e Renata continuava com fogo. Sabia que a culpa era do vizinho e estava decidida a provoca-lo muito. Mas achava que o certo era transar somente com o marido e isso a deixou num enorme conflito. Ela procurou não criar muita paranáia naquele momento e tratou de vestir um short indecente que deixavam suas coxas deliciosas a mostra e colocou um pequeno top que destacava seus belos seios. Parecia uma vadia no cio de tão provocante, se sentia bem com isso e foi assim mesmo para o jardim com o pretexto de cuidar das plantas e brincar com os animais de estimação. Fabiano estava na cozinha distribuindo os alimentos e utensilios pelas prateleiras do armário quando viu sua vizinha. Parou tudo e começou a apreciar a vista. Renata percebendo isso, tornou-se cada vez mais atrevida. Estava muito sapeca naquele dia. Pegou a mangueira e começou a brincar com seu cachorro Artur, um pastor alemão por quem ela tinha verdadeira adoração. Pulava e brincava esguichando água em Artur, rindo alto e se exibindo. A essa altura, por ficar correndo muito no jardim, seu short havia entrado completamente no rego e parte de sua bunda estava á mostra. Sua bucetinha estava enxarcada de tesão.. mas isso não era perceptivel, já que o corpo todo estava molhado com a brincadeira. Fabiano retirou seu penis para fora da calça e começou a se masturbar olhando a vizinha se exibir. Ela sabia que a essa altura, Fabiano devia estar louquinho de vontade de come-la. Nesse instante, Samuel apareceu e alegre pediu para participar da festa... Ele não sacou nada do que estava acontecendo e inocentemente pegou a mangueira das mãos da mulher e começou a molhar Artur e ela. Os dois riam muito e pareciam duas crianças. Samuel ficou muito excitado ao ver a mulher em trajes sumários no meio do jardim, não se importando nem um pouco se alguém apareceria. Ve-la se exibindo e extravazando sua sensualidade o deixava com muito tesão. Fabiano a essa altura já havia gozado duas vezes e estava prestes a chegar a terceira.



Nesse momento, Samuel levou sua mulher para a parte dos fundos , mais escondida, onde as pessoas que passavam pela rua não podiam enxergar, mas o vizinho podia. Ele não ligou para isso porque achava que a casa estivesse vazia e então despiu com verocidade sua mulher, sem um pingo de pudor e a possuiu ali mesmo, em cima do gramado como se fossem dois animais procriando, ao lado dos bichinhos de estimação que encaravam tudo como algo natural. Ela de quatro, jogava seus cabelos para trás e gemia loucamente e ele em cima dela, parecia um cavalo faminto e metia sem parar, agarando fortemente sua bundinha. Fabiano ficou completamente perturbado com aquela cena, masturbava-se como um louco e não parava de sussurrar: "Cachorra depravada, assim vc me enche de tesão.Ainda vou te comer.."



A tarde, depois do almoço, Fabiano fez uma nova visita á casa de Samuel e Renata. Disse estar muito feliz em conhecer os dois e os convidou para almoçar qualquer dia em sua casa. Samuel, polidamente aceitou o convite e se ofereceu para mostrar a cidade ao rapaz. Renata ficou muito excitada ao ver os dois juntos e ali mesmo teve mil fantasias imaginando-se possuída por eles ao mesmo tempo. Foi até o banheiro e masturbou-se um pouco pensando naquilo, mas ficou se sentindo culpada. Naquela tarde, Samuel, Renata e Fabiano foram passear e visitaram todos os pontos turísticos da cidade. Voltaram no início da noite. Eles se despediram e cada um foi para sua respectiva residência. Renata, passou o restante da noite imaginando várias cenas picantes e mais uma vez transou loucamente com o marido. Gozou muito. E o orgasmo era tão intenso que ela quase desmaiou. Ao terminar, ficou com um misto de sentimento de culpa e tesão. Estava confusa e não sabia o que fazer. A semana passou, mas como todos trabalhavam muitas horas por dia, mal se viram. No final de semana seguinte, Renata voltou a provocar Fabiano. Na verdade, fez isso ao longo de meses. Sempre procurava um pretexto para desfilar em trajes sumários pelo jardim, ou bater na porta do vizinho para pedir algo com uma voz provocante. Por todo esse tempo, Samuel se considerou o homem mais realizado do mundo, pois sua mulher era a mais bela e picante. Apesar disso continuava a ser meiga e sonhadora e ele admirava todas essas características nela. Estava perdidamente apaixonado.



Em toda oportunidade que encontrava, Renata provocava Fabiano e Samuel também, afinal de contas, não deixou de amar e desejar o marido. Muito pelo contrário. Sá que a situação a estava deixando fora de controle. Certo domingo, revelou suas fantasias pra ele. Num primeiro momento, Samuel ficou surpreso porque acreditava que a mulher era pudica demais para pensar uma coisa dessas, mas conforme a conversa se desenrolou ele começou a gostar de tudo aquilo. Disse que ajudaria a armar uma situação em que pudesse realizar seu sonho: " Sua safada.. Sabia que não iria aguentar contolar esse fogo que sempre existiu dentro de você. Pode deixar que eu gosto de ver minha rainha se satisfazer." Ao ouvir isso, Renata falou toda dengosa: " A meu amor, quero transar com vocês dois ao mesmo tempo. Sentir suas duas pirocas dentro de mim juntas. Quero me sentir uma vagabunda depravada, possuída e usada de todas as formas."

Depois dessa conversa, toda vez em que Renata e Samuel transavam, ela imaginava Fabiano participando da transa, penetrando-a. Enquanto o marido comia sua bucetinha, em sua imaginação ela chupava o caralho de Fabiano com vigor e este gozava loucamente no seu corpo enquanto o marido gozava dentro de sua xana. Ela se lambuzava com o esperma dos dois e se sentia a mulher mais vagabunda do mundo... e como isso era gostoso e diferente para ela.



4 meses haviam se passado desde o primeiro encontro entre Renata e Fabiano. Samuel concordou em fingir que estava viajado. Passou o sábado inteiro dentro de casa, sem ser vistou por ninguém e no domingo de manhã, Renata foi até a casa do Fabiano com os mesmos tipos de trajes que vestia no final de semana. Quando este abriu a porta, arregalou os olhos, deu um leve sorriso, cumprimentou-a e a convidou para entrar. Ela estava vestida para matar.. Uma blusinha semi transparente com um generoso decote deixavam seus seios quase saltando para fora. Parte de sua barriguinha estava a mostra e suas pernas estavam completamente expostas. Estava levemente maquiada, com um belo colar caindo por entre os seios e pulseiras metálicas que batiam umas nas outras a todo momento... esse elementos juntamente com seu olhar depravado e seu tom de voz macio, compunham uma belíssima sinfonia de sedução e safadeza. Fabiano estava com tanto tesão daquela cena, que se pudesse, rasgaria na hora a roupa de Renata, a pegaria pelos cabelos e a possuiria ali mesmo. Mas preferiu se conter até ouvir o que ela tinha a dizer. Renata contou que Samuel havia viajado e ficaria longe até segunda feira. Que estava se sentindo sá e que gostava de sua compania. Pediu para que à noite fosse lhe fazer uma visita para que pudessem se divertir com alguma coisa. Fabiano tinha certeza que esse dia cedo ou tarde chegaria. Estava preparado para isso e aceitou participar daquele joguinho ao invés de tentar agarrar Renata imediatamente. Respondeu então:"Com certeza! Vou cozinhar algo gostoso e levar pra gente jantar, não se preocupe com isso porque é por minha conta, ok?" Ela respondeu: "Ótimo. Te espero as 7 horas", foi em sua direção e lhe deu um beijo na bochecha.. um beijo demorado, que num primeiro momento parecia que iria se transformar em algo ardente, mas que acabou tão de repente quanto começou.



Renata passou o dia num grande ritual de preparação. Samuel que estva escondido dentro de casa a ajudou em cada detalhe. Ele lavou cada pedaço de seu corpo durante o banho. Passava delicadamente a bucha sobre sua pele, lavou cada centímetro quadrado de seu couro cabeludo. Ela parecia uma rainha sendo preparada pelo serviçal para uma grande cerimônia. Ele escolheu cada peça de roupa, desde a calcinha safada até o sandália delicada. Escolheu o penteado, a maquiagem, os acessários, o perfume que usaria, fez questão de ajuda-la a colocar cada peça de roupa. Quando ficou pronta, percebeu o quanto estava estonteante e que Fabiano não conseguiria resistir aos seus encantos. às 6:45 sentou-se para esperar por Fabiano e mandou seu marido esperar escondido dentro do quarto.



Fabiano chegou 5 minutos antes do combinado.Ao se dirigir à porta, o coração de Renata batia tão forte que quase saia pela boca, suas pernas tremiam devido a espectativa. Ela procurou se conter, respirou fundo e abriu a porta. Fabiano estava muto bem produzido e perfumado. Chegou, deu um beijo e um abraço forte nela. Ao sentir o calor do corpo e o perfume dele, sua calcinha se enxarcou imediatamente.Sentiu o grande volume dentro da calça do rapaz .. roçando e roçando.. Quase perdeu o fôlego com aquilo. Depois dos comprimentos iniciais, sentaram-se à mesa a meia luz, num clima romântico especialmente preparado por Renata. Uma música instrumental tocava ao fundo bem baixinho. Os dois sabiam muito bem porque estavam ali, mas tentaram disfarçar suas intenções para que o jogo da sedução continuasse.



Durante todo o jantar, Fabiano não tirou os olhos do decote de Renata. Ela estava contente com aquele olhar de predador faminto e não parava de passar a mão nos cabelos e nos seios durante a conversa. Conversavam sobre todo tipo de banalidades, mas importava era o que se passava por de trás da conversa, o clima que pairava no ar. Ao terminar, colocaram os pratos na pia e sentaram-se no sofá para tomar alguns drinks. O calor da bebida aquecia cada vez mais seus corpos e eles continuavam disfarçando suas verdadeiras intenções. Até que em certo momento, a inibição foi se desligando, Renata não aguentou e tocou a perna de Fabiano. Ela precisava desse contato, precisava sentir a energia que percorria no corpo daquele macho para quem ela tanto queria se entregar. Tocou em seu braço forte e deu um suspiro profundo ao sentir a firmeza de seu corpo. Naquele momento, bateu uma vontade louca de beija-lo, e fez isso. Samuel observava tudo escondido atrás da porta do quarto e enquanto a mulher dava seu show, ele se estimulada tocando o pênis. Renata e Fabiano beijavam-se loucamente no sofá da sala e ela sussurrava no seu ouvido: "Você não sabe quanto tempo eu esperei pra fazer isso." e ele respondeu: "Eu também, desde que te vi pela primeira vez".



Os beijos foram ficando mais e mais ardentes. Fabiano mordia o pescoço de Renata, lambia sua orelha, e ela ia ao delírio com cada movimento. Sá os beijos passaram a não dar mais conta de satisfazer todo o desejo que fluiam dos dois corpos, então Renata começou a alisar o pênis de Fabiano. Ele por sua vez, passou a acariciar os seios dela ainda por cima da blusa. Renata queria ver a piroca de seu macho pular para fora daquela calça que atrapalhava o contato mais intimo entre os dois e abriu o zíper do homem. O que saltou fora foi algo que a impressionou muito. Um caralho muito maior do que de Samuel, grosso e apetitoso... Ela passou a punheta-lo e não conseguia tirar os olhos do enorme membro de Fabiano...sentia prazer em ver sua mão pra cima e para baixo e como ela parecia pequena e insuficiente para agarra-lo. Fabiano começou então a gemer bem alto. e ela começou a acelerar o movimento... a cada gemida forte, mais intenso o movimento ficava. Um pouco antes dele chegar ao climax, ela parou e falou em voz melosa: " Fabiano, tenho que te contar um segredo. Eu tenho uma fantasia louca." Fabiano, embreagado de tesão respondeu: "Fala, fala, eu faço qualquer coisa que você me pedir." Ela respondeu: "Quero muito transar com você e meu marido.......ao mesmo tempo." Fabiano abriu os olhos surpreso olhou para o rosto dela e disse: " Mas você é mais puta do que parece, quem diria? Adoro essas safadezas."



Renata sorriu e perguntou: " Você faria isso por mim?" Ele rebateu: "Lágico que sim sua safada...você é uma louca depravada e é isso que me atrai em você." Sorrindo, ela disse: "Ele está aqui agora, observando a gente, posso chama-lo?" Fabiano já estava muito embriagado e sua inibição já não era presente, com isso, falou: " Pode chama-lo, vamos satisfazer você por completo." Renata foi até o quarto, retirou a roupa de Samuel e o levou até a sala onde Fabiano os esperava ja completamente despido. Ela aumentou o volume da música e aquela melodia relaxante ocupava todo o ambiente. Samuel era o único sábreo no recinto, mas procurou entrar em sintonia com os dois e relaxou. Ele e Fabiano foram em direção de Renata, e os dois juntos começaram a despi-la. Bem devagar um tirava a blusa enquanto o outro tirava a saia. Ao mesmo tempo um beijava o pescoço e o outro as nádegas . Renata fechou os olhos, levantou os braços e no ritmo da música, se deixava levar por cada sensação que surgia. Fabiano retirou o sutiã e começou a mamar como um louco os seios rosados de Renata, enquanto Samuel se livrou da calcinha e abrindo as nádegas da mulher começou a lamber seu cuzinho, que piscava nervoso.



Fabiano sentou-se no sofá nu e trouxe Renata para o seu colo. Ela ficou louca ao sentir o penis duro cutucar sua bunda com vontade. Enquanto isso ele acariciava suas pernas e sua cintura. Samuel permaneceu de pé. Sua mulher agarrou seu pinto duro e começou a mama-lo como uma desesperada... Ao mesmo tempo ele acariciava seus seios... Renata ficou louca ao sentir tantos estimulos ao mesmo tempo, vindo de todos os lados e vindo de quem considerava os dois homens que mais desejava. Ela começou a rebolar intensamente no colo de Fabiano .. Este gemia bem baixinho no seu ouvido, o que a deixava completamente arrepiada. O boquete em Samuel também ficou mais intenso e ele estava louco vendo a mulher se comportar daquela forma. De repente, ela parou tudo e mandou os dois ficarem de pé. Permaneceu sentada, agarrou as duas pirocas e começou a chupa-las alternadamente. A visão de dois caralhos a sua disposição era enlouquecedora. E ela numa mistura de provocação e safadeza disse para Samuel: "Ai amor, me desculpa, mas a piroca dele é bem mais gostosa que a sua... Olha sá o tamanho dela" Samuel sentiu uma mistura de ciume e prazer que o deixava fora de controle, era inexplicável. Renata punhetava um e chupava o outro e vice e versa. Ficou nessa brincadeira por muitos minutos sem se cansar, até que sentiu que os dois iriam gozar.. Primeiro foi Fabiano, que gozou intensamente no rosto dela. Ela ria e gritava: "Aaaaii que quentinho... quanta porrinha quentinha ...que delicia.. Viu sá amor.. isso é que é gozar, o que você tem aí pra mim?" Samuel ao ouvir as palavras da mulher não aguentou e antes mesmo que ela completasse a frase disparou vários jatos grossos em direção ao seu rosto.



Ela ria sem parar.. Adorava estar toda lambuzada. E enquanto os dois se contorciam, ela esfregava a piroca de cada um no rosto espalhando ainda mais todo aquele esperma que escorria em direção ao seu peito. Renata correu até o banheiro para se limpar e rapidamente voltou para o segundo round. Virou para Samuel e disse: "Amor.. vc sabe como é, né? Primeiro as visitas"... Montou em cima de Fabiano com vontade e começou a cavalga-lo como se ele fosse um cavalinho gritando:"Aaahh amor.. ele está me arrombando...Me ajuda" Samuel correu até o quarto, buscou o lubrificante pediu que por um instante Fabiano tirasse sua piroca da mulher e então lambuzou a vagina dela de KY. e disse: "Pronto amor.. assim vai ficar melhor" e então ajudou a mulher a conduzir novamente a bucetinha em direção ao caralho grosso de Fabiano. Ela voltou a cavalgar e para não deixar o marido sozinho, começou a punheta-lo. Fabiano ia ao delirio com aquela situação, Samuel também e quanto a Renata, bem, ela estava no paraíso.



Foi então que Renata falou: " Amor.. vem cá.. lambuza esse KY no meu cuzinho... vem meter nele.. Quero sentir vocês dois ao mesmo tempo" Samuel com muito carinho e cuidado começou a enfiar no cuzinho de sua mulher.. era muito apertadinho e por isso ela gemeu bem alto.. num som que misturava dor e prazer. Ela nunca havia imaginado algo desse tipo até o dia em que viu Samuel e Fabiano juntos, conversando. "Isso mesmo seus cafageste, me arrombem toda" gritava Renata. Fabiano não aguentou e berrou: " Sua puta depravada, vc merece, toma pra aprender a não provocar mais os outros.." Renata se sentiu preenchida por inteiro tendo um na sua vagina e o outro em seu anus. Teve ainda a audácia de pensar: " Sá está faltando um pra eu mamar". Samuel estava tão excitado com aquela situação que foi o primeiro a gozar. Fabiano gozou logo em seguida, mas os dois não pararam até que Renata também gozasse.. E quando isso aconteceu, foi como se o mundo parasse para ela. A explosão de energia era muito intensa e ela quase desmaiou com aquilo tudo. Pela primeira vez na vida estava tendo orgasmos múltiplos. Começou a chorar de tanto prazer e seu corpo se contorcia todo... Ao final de tudo isso, os três se dirigiram ao quarto, sendo que Samuel estava carregando a mulher no colo. Se deitaram na cama e dormiram ali. Os três. Renata no meio e os homens nas extremidade. E ela pode se sentir envolvida pelo calor dos dois a noite inteira.



Bem, depois dessa experiência intensa, Fabiano passou a ser o terceiro elemento constante na relação entre Renata e Samuel. Na maioria das vezes a transa era apenas entre o jovem casal, mas uma vez por mês, Samuel era chamado para controlar o fogo intenso de Renata. E os três se tornaram bons amigos e cumplices. Renata continuava com seus jogos de provocação com os dois.. e não se importava inclusive em provocar outros homens ou mulheres. O que queria mais era se sentir desejada. Mas na cama, seu fogo intenso sá poderia ser apagado por dois homens. Por dois homens que ela escolheu a dedo: seu marido Samuel e o vizinho Fabiano.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos eroticos encontreia uma calcinha da minha filha babadinhacomtos de fodas com travetis e mai e pai e filhosfudeno cu da manu e ela gritando de dorMinha mulher viu o pau do menino - contospenis entandroComi+o+cuzio+da+mia+intiada+aforsa+conto+eroticomeninos gay contoscomigo vamo mulher do meu irmão meu irmão viu como um laser transar entre família comigo a mulher do irmãoconto erótico dei pro Negrão pauggO primo do meu marido fudeu meu cuconto erotico novinha viu cavalo arregaçando eguamae e esposa duas depravadas contos eroticoscontos eroticos, o bispo me comeu gostosocasa dos contos eróticos jogo mamãecontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaContos erotico mulhrr casada dona de supermecadoa irma dela dorme conosco de calcinhameninas com bucetinhas piticas pornotitio disse q ia fazer passar a vontade de fazer xixi contos eroticosnovinha transando pela primeira vez e goza muito de queixocontos de sexo comi minha sogra vadia na frente da irma delacuzinho da zildafode a mulher do irmao para provar que ela é uma putameu filho e meu marido conto eroticocache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html conto.erotico minha tia me pegou batendo punheta e faloupra sua amigaencostou-me na parede contosela pediu pra parar mas continuei empurrando na putacontos eroticos o senhor roludo do baile da terceira idadeestoria de cantos erotico minha tia sentou no meu colo e comi elaContos eroticos no acampamento com minha maecontos eroticosioconto erotico gay com o coroa catador de lixonoiva putinha noivo safado corninho titio caralhudo contosconto morador de rua roludo comei gpstos minha esposavivo porno coloko amamae pra chupa no contos eroticoscontos eroticos fui bem fodida igual puta e chingada de vadiaContos Comendo A filha da amigaconto minha namorada ficou cu arebentado nao pode sentarfui estrupada pelo filho conto erótico bem novinha travesti cumendo o gay novimContos eróticos: boquete quando pequenaEu e meu macho padrastocoroa pede gisa pra mim safadoprimas contos eróticoporno contos eroticos comeu priminha inocente nas feriasconto chantagem com a patroaconto erotico gay dando pro pedreiro sarado de 29 anosabaxar video porno de coroas de 20 anosconto erotico loura com 3 africanosconto erotico fiz surpresaContos eroticos dando para o amigo bunda grandecontos eroticos garotao passando bozeador na minha esposacontos eróticos fudeu meu cuzinhoContos eróticos comendo uma travestir lindaconto zoofilia neroprimeira traição foi com meu cunhado contoscontos exibindo esposa na borrachariade calcinha pros amigos do marido contosrelaro erotico filha novinha mela a calcinha premeira vezSou casada mas bebi porro de outra cara contoscontos eroticos sobre voyeur de esposacontos eroticos com a dona da fazendaContoseroticos novinha magrinha virgem estupradas pelo tioContos eroticos esposa presa em uma ilha como pito da minha sobrinha e o cu da cunhada contoscontos erotivos gay levando pau do diretorenteada nua contoscontos de cú de irmà da igrejacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaVer vidios porno de exetos e contos eroticos somente de pai chupando a bucetinha propria filha, pequenininha da filinha caçula que e pequena de tudo que nem tem penugem na bucetinha ele chupa na mara:) contoseroticos foi fuder no mato e foi comida por malandrosestava no banheiro minha tia entrou contos eroticoscontos de gays sendo arrombados por varias rolasconto erotico a senhorahttp://googleweblight.com/?lite_url=http://okinawa-ufa.ru/conto-categoria_2_114_gays.html&ei=e8yqT8MC&lc=pt-BR&s=1&m=564&host=www.google.com.ar&f=1&gl=ar&q=Contos+Fudendo+um+hetero+com+o+cu+sujo&ts=1485672497&sig=AF9Nedkia2TWDM2T0ozn41vBE5bkl1pQLAcontos erotico comendo a filha do meu sociocontos eroticos feriado quitinete praia