Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA PRIMEIRA VEZ...





Eu devia Ter uns 19 anos, estava fazendo ainda o colegial, estudava no período da noite. Tinha tido experiência sexuais com outros garotos, mas não gostei e não fui mais atrás. Certa noite voltando da escola vi uns cachorros andando atrás de um única cachorrinha, tadinha. Tinha cachorro de todos os tamanhos. Até que o maiorzinho conseguiu subir nele e comê-la sem dar tempo dela dizer não. De repente senti um arrepio nas costas como se algo estava mudando em mim. Não sabia o que era, mas algo estava diferente. Sentia como se me bunda estivesse melada, meu corpo ficou mole, minhas pernas não estavam obedecendo, parecia que estava bêbado. Quando cheguei em casa passei a mão no meu cuzinho e realmente estava úmido. Fui deitar mas, não conseguia dormir sá pensando naquele cachorro que estava comendo aquela cadela. Meu cuzinho formigava, parecia que abria e fechava. Precisava fazer algo. E fiz. Na parte dos pés da minha cama existia dois suportes de enfeites que pareciam pintos, arredondados nas pontas e mais abaixo uma bola maior. Levantei sem fazer barulho, lubrifiquei com saliva meu cuzinho e sentei nos suportes, um mais grosso que o outro, foi até o fim. Sá que não tinham vida e meu corpo não ficou saciado. E no pensamento aquela imagem dos cachorros. Mas, adormeci. Meus pais iam passear na casa de meus tios em outra cidade, levariam apenas meu irmão mais novo, eu ficaria sob os cuidados de meus avás, sá que coloquei uma condição, já prevendo o futuro, não dormiria lá, apenas tomaria as refeições. Tudo acertado, ele saíram. Isso foi na sexta-feira. Agora era pensar em matar meus instintos, pois meu cuzinho pedia isso, eu não estava mais aguentando de tanta vontade. Minha casa fica nos arredores da cidade, cidade pequena, tem um quintal grande e no fundo plantação de napiê para alimentar o gado do vizinho. De um lado não tem casa, do outro uma oficina mecânica que é murada até na metade do terreno depois é uma cerca da arame farpado, que sá abre até na sexta-feira, sábado e domingo fechada. Para tomar conta da oficina tem dois cachorros, um mestiço pastor alemão com perdigueiro, é enorme, se colocado de pé fica maior que eu, o outro sem raça definida, mas grandão também, um chama-se Bolero e o segundo Xerife. Ele me conhecem, pois me vêem todos os dias, até brincam comigo. No fundo da oficina tem um matagal bem fechadinho. Na sexta-feira à noite comecei a bolar um jeito de levar um dos dois para o fundo. Fui dormir, antes transei com os suportes da cama. Meu corpo estava trêmulo, meu cuzinho estava inchado e lambuzado de tanta saliva que eu passava. No sábado de manhã comecei a fazer amizade mais íntima com os cachorros Bolero e Xerife. Foi até fácil. Primeiro o Xerife veio balançando o rabo e sentou na minha frente, fiz carinho na cabeça dele, parecia que estava gostando. Agachei perto da cerca e comecei a acariciar sua barriga e depois fui logo no pinto dele. Nossssssssssssaaaaaaaaaa!!!!!!! Meu cuzinho parecia que ia saltar fora do short sem cueca. Minha respiração aumentou. Continuei a acariciar seu pinto e ele chegou mais perto da cerca. Forcei um pouco o arame da cerca e o Xerife passou para o meu quintal. Aí ficou mais fácil. Continuei a acariciar seu pinto e ele veio encostando em mim, quase me derrubou, fiquei sentado. Passei o dedo no meu cuzinho e dei para ele cheirar. Cheirou e lambeu. Ele foi procurar em mim aonde era que tinha aquele cheiro. Achou!!!!! Aaaaaaaaaaahhhhh! Começou a lamber minha coxa por debaixo do meu short. Olhei e seu pinto estava começando a sair fora da capa. Continuei a acariciá-lo, começou a pingar. Ele quis trepar em mim, mas não deixei, então, começou a abraçar minhas perna e começou a bombar. Levantei e fui para casa, Xerife veio atrás me cheirando a bunda. Quando cheguei no alpendre tirei o short e deixei ele me lamber todinho. Que língua! Eu fui abaixando e fiquei de quatro, ele começou a lamber meu cuzinho que foi ficando melado com a baba, eu enfiei o dedo para que lubrificasse dentro também. Com estava de quatro ele quis subir em mim, sá que eu comecei a andar para deixá-lo mais excitado e fui entrando em casa. Na porta tem um degrau, eu de quatro tive certa dificuldade para subir, Xerife aproveitou e subiu em cima de mia e começou a bombar, seu pinto batia na minha bunda, mas não penetrava meu cuzinho. Quando terminei de subir o degrau fiquei parado. Ele me apertou mais forte e a bombar com mais velocidade, meu cuzinho estava aberto, sentia isso, então, abri mais as pernas e fiquei à mercê do pinto do Xerife. Ele tentou novamente, mas sem direção. Então passei a mão por baixo e coloquei o pinto na reta do meu cuzinho e deixei. Ele sentiu o calor e começou a bombar forte e rápido. Seu pinto entra e saía e nesse movimento crescia, crescia. Eu não sabia do ná. Xerife deu uma bombada forte e lá se foi o ná. Começou a doer, sentia ele me rasgando o cuzinho, me estuprando, tentei me desvencilhar, mas era tarde. Seu pinto não parava de crescer e ele sá bombava, agora mais devagar. E seu pinto crescia. Passei a mão no meu cuzinho, estava aberto por causa do ná. Xerife babava em minha nuca, sua respiração era ofegante. Depois ele parou, e num movimento ele estava virado de bunda para mim. Meu desespero misturado com tesão cresceu. Quanto tempo ficaria ali. Passaram-se 30 minutos e nada, sentia seu pinto tremer dentro de mim. Doía minha barriga. Depois de 40 minutos senti como se estive fazendo uma lavagem intestinal, seus jatos de porra alcançaram meu intestino grosso, deu para sentir o barulho. Foram vários. Depois o pinto começou a diminuir e num puxão ele tirou seu pinto do meu cuzinho que estava latejando, mas feliz e um rio de porra saiu junto. Xerife fez a limpeza. Um amor de cachorrinho. Sabia que tinha o Bolero. Tinha que me recuperar. Mas, minha iniciação foi uma delícia.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erótico "Um dia minha familia ia fazer um churrasco em casa, e minha mãe chamou "ana roludo cenfo cu da coroaContos gay encontro com o estranho da rola grossaminha coleguinha me chamou pra comer o cuzinho na casa delacontos eroticos comi a coroa peitudaconto erotico namorada perdendo virgindade com meu amigo cinemaEu vou arrombar essa sua xaninha sua putinha ninfetinha fanficgoogleweblight/buceta virgem/ fotosconto erotico meu avoconto erotico teen sendo enrabadaConto érotic sentado no colodei pra um estranho num baile e meu marido viu conto eroticome fuderam meu cu na ordenha contospuxou minha calcinha de lado e meteu ate o talo na minha boceta contoscontos eróticos de peidosconto eróticos de cheirar cu da mulher e ficar se masturbarconto erotico comvidando visinha pra fudercontos eroticos tia abusomorena amiga da esposa contomagrinha com tatoo na bundacontos macho e dono da esposacontos elas gostam de chupar e punhetamolhar buceta da patroa enquanto pega no sonocasa erótica gato na luzpagamento da terceira parcelaconto erotico novinha viu cavalo arregaçando eguaAi ai minha bucetinha contosContos eroticos menininhasSou casada mas bebi porro de outra cara contosConto de coroa estrupada e chingada pelo genrominha bunda grande contodeixa eu ver seu peitinho contoscontos eroticos de apostei com a minha irma e acabou em tranza"voce e muito corno"bumbum de mocinha injecso porno contonoite maravilhosa com a cunhada casada contoscontos de sexos ainda dimenorconto erotico de shortinho provocando molestada por pivetewcontos eróticos comendo a minha filha caçula na viaconto eróticos esposa faz marido adivinhar gual bucetaconto de não aguentei a pica grande no meu cucontoseritico padrasto contos de cú de prima coroacontos o moleque safado e dotado me provocava usando sungaSou casada trai e dei ate o cu para o garoto da vizinhacontos: sentei no colo do velhocu de bebado não tem dono contos eróticos gayconto minha namorada pelada na frente dos nossos amigosfamília naturista contoscontos-meu cuzinho contraindo no teu paupezinhos da minha mulher conto eroticoconto minha esposa nadando nua em casacontos eroticos/narrafos safadod/gemidosxvideo porno gay amigos bateno punheta na casa abondonadacontos eróticos de pequenininhos dando para grandõesMinha esposa me fez uma surpresa contofogosá taradacontos eroticos viajando com meu irmaocontomeu pitbol mim raboucontos de meninas safadinhaconto fui por cima do meu primoMeu namorado virou corno contos teencontos eroticos chantageada pelo titioAguentei a rola enorme do papai contos eróticosFoderam gente contos tennscasada desfilado de calcinha contos eroticomamae levou meus amigos pra acampar contos eroticosconto erótico "Um dia minha familia ia fazer um churrasco em casa, e minha mãe chamou "contos eroticos traiu o marido no onibusConto erotico aos 60 anoa dei a buceta para o garotoCorno leva a mulher ao cinebolsocontos sentando no colo novelacontos eróticos com filhasMeu namorado virou corno contos teencontos eróticos com palavrões de lésbicas sendo submissasvideo gay mandei meu amigo parar de fumar e ele me comeu Conto erotico angolaconto herotico gay Virei a putinha de dois noiascontos eroticos meu alunocontos eróticos minha mulher tem sono pesadocontos eroticos de irmã chupando pinto pequeno do irmão novinho de idaderelato erotifo meu filho gosa muto nas minhas calcinhascontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto erotico alice de manausconfesso que meu marido arruma outros homen pra mimcontos eroticos com escravas sendo humilhada sou tarado para fuder o cunhadinho afeminadoconto erotico da cunhada pegando no pauconto gay camisolinhacontos eróticos no caminho do sítio contos meu pai me arrastava pro matocontos de incestos tesao pelos pezinos da minha mae