Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PERDI MINHA VIRGINDADE COM UM POLICIAL MILITAR

Oi , meu nome é Bella, e hoje vou contar como perdi minha virgindade ao 19 anos.

O ano de 1998 foi histárico na minha vida, nele terminei o segundo grau, consegui meu primeiro emprego, e perdi minha virgindade com César, um policial militar.

César era um belo policial militar da ronda escolar noturna, 28 anos, era de altura mediana, cerca de 1,75 altura, moreno, olhos castanhos, ombros largos e um corpo maravilhoso de se apreciar, dentro de uma farda então, dispensava comentários. Nos intervalos e nas aulas vagas, eu e minhas colegas, todas na faixa dos 19 a 19 anos, ficávamos sentadas na pracinha ao lado que a noite era bem divertida, numa dessas ocasiões conheci meu futuro homem. As meninas davam risadinhas e acenavam quando passava alguma viatura, coisas da adolescência. Certo dia a viatura parou e um PM desceu do carro, eu gelei, achei que eles iam nos xingar, mas para minha surpresa, o policial veio paquerar uma das minhas colegas, olhei pra viatura e vi aquele homem sério parado ao volante. Convidei-o para descer do carro também, mas ele se negou. Deixei-o quieto, tinha um pouco de medo da polícia, coisa dos tempos de criança.

Alguns dias depois, retornando do colégio para a casa, a viatura parou do meu lado, era César e seu colega oferecendo carona, achei o máximo andar na viatura e aceitei, conversamos sobre diversidades no caminho e chegando em casa, ele pediu meu telefone que dei sem hesitar.

No dia seguinte César me ligou e convidou pra sair, topei de imediato, começamos um namorico que durou meses, ele sempre me pegava na saída da escola ou às vezes na entrada mesmo, matei muitas aulas pra ficar com ele. A cada encontro ia descobrindo coisas novas com aquele homem. Como eu era virgem, nunca deixava César chegar aos finalmente. Ficávamos nos amassos, César sugava meus peitinhos pequenos, ainda em desenvolvimento, bolinava minha bucetinha com os dedos e me ensinava como chupar um pau. Eu estava aprendendo e adorando, mas na hora da penetração eu não deixava, o que deixava César louco de tesão e raiva rssss, mas não demorou muito e não pude mais resistir as investidas daquele homem tão gostoso.

Certa noite saímos para mais um de nossos passeios de carro, César começou a mordiscar meu pescoço me deixando louca e aquela altura não podia mais negar, queria como nunca transar com ele.

Com uma blusinha preta de alcinha e uma saia jeans curtinha, sentei no seu colo e comecei a me esfregar naquela rola que eu adorava e já conhecia bem...

No meio de seus beijos quentes e seu toque me perdi e quando percebi César adentrava minha bucetinha já molhada. Dei um grito de dor e susto, não achava que seria daquele jeito olhei aflita pra ele que sorriu safadamente e abraçou com força minha cintura forçando-a para baixo até que senti aquele cacete introduzindo até o final de minha bucetinha virgem, tinha a impressão que estava dentro da minha barriga, em meio a dor e o espanto pedia que parasse um pouquinho e mais ele socava. César me fodeu como um animal selvagem e a dor foi dando lugar à satisfação de estar perdendo meu cabacinho com aquele policial escroto que me fodia sem dá, mas que eu amava. Ao tentar sair do colo dele, senti arrepios de dor tentando fazer César me dar um descanso, foi quando ele puxou minha blusinha e começou a sugar meus seios, mordendo de maneira dolorida, quando deu um gemido num tom grave, gozando em seguida, enchendo de porra quente minha bucetinha já esfolada e vermelhinha de sangue.

César ofegante se recostou no banco, dando um belo sorriso e me dizendo que agora sua menina já era mulher. Fiquei orgulhosa, mas também dolorida por uns três dias, mas nunca mais quis ficar sem uma pica por muito tempo. César me iniciou, mas eu continuo querendo aprender coisas novas todos os dias.

Não foi ele que fez meu primeiro sexo oral e nem tirou o selinho de trás, mas isso é outra histária que conto em outra hora...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erótico cantada pesada na ruacontos eroticos fudendo minha cumadre cavalacontos eroticos primo da esposacontobucetavirgemparou na borracharia pra arrumar o pneu e levou pau gay fudendoconto erotico rainha do analcontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacasa de banho conto eroticotortura em meio o sexo gay conto erotico gaycontos exitantes comi a mulhersinha domeu patrão na cama delecontos de cú por medocontos eróticos comi a mulher do meu amigo e ele me comeucontos bebendo porratexto mae cuida filjo asidentado filho fodeu bucetaquantas horas de sono uma "adolecente" de dreze anos tem que dormircontos de estupro nao resiste minha enteadaconto erotic meu treinado taradocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos voyeurconto erotico neguinhaconto prima virgem da buceta ensopada dormindo na minha camaconto erotico gay deixei meu genro com tesao e ele me comeucontos de cú de madrinhaZoofilia com mais drenacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casapai sempre brincava com seus filhos de tirar a toalha e sair corrwndo e um certo dia fez sexo com sua filha no banheiro contos eroticossou a putinha do bairrocontos de travecos comedoresconto erotico: fiz DPcontos eroticos - isto e real - parte 2fiz dupla penetração com colegas pois meu marido não quiz contos cunhada currada e dandocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casameus pais transando com minhas coisas do conto erótico pornôconto erotico estou gravida do meu irmãocastigando o rabo da minha esposa com a ajuda da sogra contos eroticosdistraida no trem conto eroticoingenua.contos eroticoscontos eroticos arrombada pelo empregadovídeo de pornô do metendo vendo a sua beleza ela me chameA maior gozada muita porra contoscontos eroticos violadaconto erotico colegial virgem sentindo desejoquero ouvir o funk mais soltinho bem curtinho cunhadoContos gays me fantasiei de mulher no cine pornoconto erotico arrombei o travesti do baile funkconto erotico velho tarado e cachorroContos eroticos rocaviadinho de calcinha caiu na ualconto erótico vó e seu netinhoconto de mulher casada crente com filhorabinho da putinha de nove aninhos com vontade de fude contos eroticosbeto cunhado contos eroticoscontos gorda feiarasgando um cu virgem da freira- contoscontos eroticos "cadela" "fome"Contos eroticosm comendo a prima de calcinha amarelaNo Camarote Contos EróticosBbeatriz uma sobrinha. safada parte 2contos eroticos onibus da alegriacontos eroticos mulher santinhasConto porno chineladas no trazeirocontos safados mae casada filhas traem com homens dotados juntas conto gay me comeu dormindocontos pedreiros rasgsram meu cSou gay e tranzei com um travest contos eroticocontos porno esposas estuprados submissoseu e meu marido na nossa noite de núpcias eu disse pra ele mete seu pau bem devagar na minha buceta virgem conto eróticopinto duro pra tu noivaconto vesti as roupas da minha madrasta e ela me fagroucanto erotico comi minha professoracontos eroticos casado dominado e enrabadoquando eu era. adolecente meu amigos me estruparao e eu adorei conto erotico gueycontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto erotico peguei meu marido trepando cõm minha irma na camacontos de casadas escravasCasada Amigo do meu filho sexo contosmulher com contracionar peladacontos divido apartamento com um travestitoda loira gosta de um negão contos eroticoscontos de pura putaria entre pais e fcontos eróticos evangelicasContos eroticos fudim a buceta da minha maevídeo de pornô do metendo vendo a sua beleza ela me chameContos de cdzinha novinha de shortinho fino socadohomem conto heterocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casa